REFLEXÃO

domingo, 24 de junho de 2012

PAIXÃO PELAS ALMAS, OSWALD J. SMITH: PREFÁCIO

O coração e a essência da Mocidade para Cristo são a responsabilidade e a visão missionárias. Milhares e milhares de pessoas em solo estrangeiro estão tendo um encontro com Jesus mediante essa organização. A visão missionária que transformou a Mocidade para Cristo, há vários anos, foi principalmente o produto da visão, dos conselhos, das advertências, da liderança e do companheirismo de Oswald Smith. Como missionário-estadista não há quem se lheassemelhe.
Ao redor do mundo o nome de Oswald J. Smith simboliza evangelização de alcance mundial. Suas viagens evangelísticas, as grandes ofertas levantadas, e a visão que Deus lhe deu têm servido de dínamo que produz energia, um gerador de animo para inúmeras sociedades missionárias. Quando a visão missionária se havia embaçado, uma voz ressoava em Toronto, clamando no deserto: “Missões! Missões! Missões!” e evangélicos de todo o continente norte-americano começaram a despertar uma vez mais para a sua responsabilidade em relação aos pagãos. Os sermões impressionantes de Oswald J. Smith foram usados por Deus para ajudar a levantar milhões de dólares para as missões. Como missionário, ele exemplifica a paixão pelas almas. Como evangelista, ele foi impulsionado por essa paixão santa. Sua mensagem enérgica e poderosa, sua clara e concisa exposição do Evangelho, a habilidade que lhe foi dada por Deus para fazer um apelo, tudo tem comprovado, perante centenas e centenas de palanques e de altares, que Smith foi generosamente agraciado com o dom do evangelismo. Suas campanhas na Austrália, na Irlanda, na Jamaica e na áfrica do sul, jamais serão esquecidas. Na América do sul, onde pregou para auditórios de vinte e cinco mil pessoas (muitas outras não puderam entrar), quatro mil e quinhentas pessoas se decidiram por Cristo pela primeira vez. Encontrei-me com ministros cujas vidas e trabalho foram transformados. Por certo o Senhor se utilizou dele de uma maneira sem par, tremenda, a fim de comover os corações dos crentes como não haviam sido comovidos, talvez, durante toda a história da igreja evangélica. Como evangelista, ele exemplifica a paixão pelas almas. Smith como pastor bem-sucedido: assim proclama o grandioso ministério da Igreja dos Povos ao mundo inteiro. O coração e a essência da grande Igreja dos Povos, em Toronto, são o evangelismo e as missões. Poucos pastores têm tido um pastorado tão longo e frutífero como o de Oswald J. Smith. Tenho pregado na Igreja dos Povos em diversas ocasiões, e cada vez tenho-me admirado de encontrá-la repleta, ao máximo de sua capacidade. Somente os registros do céu sabem quantas almas se ajoelharam no altar da Igreja dos Povos, encontrando-se com Cristo. Como pastor ele exemplifica a paixão por almas. Como autor, os seus livros e folhetos têm sido traduzidos para inúmeras línguas. É impossível  que alguém leia uma página de qualquer de seus muitos livros, sem perceber aintensidade de seu amor às almas e sentir sua influência. A caneta de Smith nada perde em entusiasmo, poder e desafio. Seus livros têm sido usados pelo Espírito Santo para gravar algo precioso, como ferro em brasa, nos recessos de minha própria alma, e têm exercido uma extraordinária influencia sobre minha vida e meu ministério. Como autor, Smith exemplifica a paixão por almas. Como poeta e compositor de hinos, os seus cânticos são apreciados e cantados ao redor da terra. Quem pode ouvir aquele grande hino “Então Veio Jesus”, ou aquele outro “Deus compreende”, ou ainda “A Glória da sua presença” ou “O Cântico da Alma Libertada”, sem sentir a paixão desse homem pelas almas? Em inúmeras reuniões tenho visto os corações dos presentes se comoverem e se quebrantarem pelo cântico desses hinos. Seu hino mais bem conhecido “Salvo”, tem servido de testemunho para grandes multidões. Como compositor de hinos ele exemplifica a paixão pelas almas. Como homem, sua total consagração à causa de nosso Senhor Jesus Cristo e ao avanço de Seu reino injetaram nova esperança, coragem e inspiração a 
milhares de jovens pregadores. Sua piedosa vida de oração e sua vida cristã, cheia do Espírito, foram uma benção para multidões. Ninguém podia ficar em sua presença por cinco minutos sem receber o calor das chamas da sua alma. Como homem ele exemplifica a paixão pelas almas. Parece que apenas uma vez em cada geração Deus ergue um homem com tantos dons e talentos. A paixão impulsionadora da vida desse homem sobreviverá atravésdas gerações vindouras, caso Cristo ainda se demore. Certamente nenhum homem dos nossos dias esteve mais qualificado para escrever acerca da paixão pelas almas. Ao ser relançado em público este livro, a nossa oração sincera é que outras pessoas sejam igualmente inspiradas por tão grande responsabilidade e visão, e por uma paixão tão fervorosa.                                             

Billy Graham

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário